Follow by Email

domingo, 20 de abril de 2014

Páscoa. Renovar esperanças!

Hoje, sobretudo no ocidente é dia de comemoração da Páscoa. Sobretudo no Brasil, o dia é comemorado por várias religiões, menos as religiões que predominam no oriente, não tem significado especial.

Primeiro de tudo, quero cumprimentar a todos e todas com:

Feliz Páscoa!

Unanimemente, todas crenças religiosas ocidentais, marcam a data como o início de um período de esperanças.  Esperanças de um mundo de paz e de prosperidade.  Tudo que o mundo não tem, é a paz e nem a prosperidade.  Ao contrário, há conflitos, há guerras e há também muita fome no mundo todo.  Há predomínio de muito ódio entre os próprios seres, há desesperança de paz, há desesperança de erradicação da miséria.


Na terra em que vivemos, infelizmente, não foge à regra do mundo global.  Há domínio sobre os mais pobres pelos mais ricos ou mais poderosos. O País, após séculos de dominação pelos portugueses, continua sendo dominados pelos entes de fora.  Hoje, não são os portugueses a dominar o País.  O domínio é dos chineses, predominantemente.  Não somos mais colônia portuguesa, mas hoje o Brasil é uma colônia chinesa.

No front interno, o domínio de grupo de saqueadores sobre a classe produtiva.  Os grupos de canalhas, ladrões das verbas públicas, desviam o dinheiro do povo para os seus bolsos próprios.  O País está dominado pela quadrilha que tomou conta da administração pública em todos poderes da República.  Estes se blindaram para permanecer no poder, pretensamente, para sempre.


Em respeito ao dia de júbilo e de comemorações, vou deixar de declinar os nomes.  Mas, os nomes das pessoas que compõe a quadrilha de assaltantes são notórios.  Os nomes dos ladrões da República, diariamente, são denunciados por mim há mais de 1 anos e agora pela imprensa nacional.  Basta olhar os manchetes de jornais, para ver quem são.

Dá vontade de desistir de tudo.  Por que eu com quase 70 anos tem que estar atuando como ativista? Puxa vida! Já tive que lutar contra a ditadura militar na condição de estudante universitário no período 1964/1968.  Tudo de novo! Mas, vamos lá, se parar o trem passa por cima de você.  Vamos à luta!  Aproveito o dia de Páscoa, para renovar as esperanças!

Vamos retomar o Brasil desta turma de bandidos, de safados, ladrões da República.  O Brasil é de todos nós.  O Brasil tem todas condições para ser potência do mundo, invés de ser motivo de vergonha perante o mundo.  O Brasil tem maior riqueza mineral do mundo, o Brasil tem maior extensão territorial do mundo para produção de cereais.  O Brasil tem 8,5 milhões de km2 de extensão territorial.  O Brasil tem 200 milhões de habitantes. O Brasil tem extenso mar territorial.  E estamos no paralelo do clima temperado. Quer mais, quer?

maior celeiro do mundo

maior província mineral do mundo

200 milhões de habitantes

Qualquer presidente que tenha mente mediana saberá conduzir o Brasil rumo a uma das maiores potências do mundo, em todos os quesitos.  Bastaria que o presidente não seja ladrão, corrupto e medíocre.  De mediocridade estamos cheio! Chega! Não quero, no final da vida, continuar a conviver com tanta barbaridade! Ter que assistir tanta mediocridade é dose para elefante!

Vamos, com Páscoa, marcar a mudança do rumo!  Tudo depende de nós próprios, de cada um de vocês, de cada um de nós! Façamos a nossa parte, com determinação e dignidade, defender a nossa pátria amada! Vamos juntos, vamos?

E para você leitor amigo, o desejo de esperança para sua vida privada e profissional!  Esperança renovada!


De coração!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


sábado, 19 de abril de 2014

LULA presidente 2014 !

Não precisa ser cientista político para fazer diagnóstico da situação dos candidatos às eleições de outubro de 2014. Se eleições fosse realizadas hoje, a presidente Dilma teria preferência de 36% do eleitorado em confronto direto com os candidatos da oposição já colocados na disputa.  


Em março de de 2013, a popularidade da Dilma indicava 79%, acima das popularidades do presidente Lula e do presidente FHC no igual período do governo.  Apesar de redução tarifária de energia elétrica, a popularidade despencou com as manifestações de junho de 2013.  Desde lá, Dilma não tem recuperado a sua popularidade, em números aproximados.  Houve ligeira recuperação no final do ano de 2013, mas voltou a cair, segundo última pesquisa do IBOPE. 

O quadro economia brasileira tem deteriorado rapidamente, por conta do "erro sistêmico" da política econômica (sic) implementada desde a posse da presidente Dilma.  Este blog já vinha fazendo alerta sobre o problema há mais de 2 anos.  Os erros cometidos foram visíveis, mas a Dilma insistiu em continuar com o erro. Deu no que deu. Mesmo a inflação oficial, IPCA, já vai furar o "teto" da "meta" de inflação de 6,5% ao ano.


A presidente Dilma, nos próximos meses, só vai perder a popularidade, independente de time do Brasil ganhar ou não a Copa 2014.  O evento, pelo contrário, é motivo de mais indignação do que de aprovação, em função do elevado gastos na realização do evento.  No máximo, mesmo ganhando o título, o evento Copa 2014, vai ficar no taco a taco.

Diante do quadro sinistro, o PT não tem outra saída, eu disse não tem outra alternativa, se quiser ganhar eleições deste ano, senão lançar a candidatura do presidente Lula para mais um mandato do cargo de presidente.  Não foi feito pesquisa levando-se em conta a candidatura do Lula, mas as opiniões mais abalizadas do meio político, indicam que Lula tem chance muito maior do que Dilma.  

O PT no decurso destes últimos, quase, 12 anos, montou esquema de corrupção nunca dantes visto.  Os esquemas R$ bilionários de esquema de "desviar" dinheiro público, sobretudo via empréstimos do BNDES, estão a saltar olhos. São obras em Cuba, Angola e países africanos e latino-americanos, financiados pelo BNDES para favorecer as "exportações de serviços" das empresas já notórias como Odebrecht, Queiroz Galvão, OAS, etc. 

Dentro do território nacional as falcatruas financiadas com o dinheiro do BNDES, para empresas castelos de papel como OGX ou empresas problemáticas dos irmãos Batistas, o grupo JBS/Friboi.  São falcatruas de arrepiar o cabelo!  São algumas dezenas de R$ bilhões que foram transferidos para empresas falida e semi-falida.  Com absoluta certeza de que houve drenagem de R$ bilhões para as mãos do presidente Lula, atuando como agenciador dos empréstimos.

As maracutaias denunciados por mim na Petrobras, estão vindo à tona, após 1 ano de defasagem.  Mas estão vindo.  A começar pela compra desastrada da refinaria de Pasadena e terminando em venda de ativos da África para a empresa BTG Pactual, sem licitações.  Só no quesito Petrobras, são US$ bilhões em roubalheira pelos agentes infiltrados que envolvem aos presidentes Lula e Dilma.


Estes são os motivos que levarão a substituição da Dilma pelo Lula, como candidato do PT nas eleições de 2014.  Como dizem em linguagem chula, PT não querer largar o osso tão facilmente.  Nisto que se baseia a minha convicção de que Lula será lançado candidato à presidência pelo PT no lugar da Dilma.  Afinal, Dilma foi colocado como poste no lugar do Lula.  Dilma afinal não mostrou aquilo que divulgara que era, a de boa gerentona.   Lula volta!


Era exatamente a visão que tinha o José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil do governo Lula, com o seu projeto de 20 anos no poder.  Lula, 8 + Dilma, 4 + Lula 8 dá exatamente 20 anos de poder pelo partido que ele, José Dirceu, foi artífice e patrono da criação do Partido dos Trabalhadores, o PT.  Só para lembrar o José Dirceu na penitenciária da Papuda.


Lula volta para disputar as eleições de 2014, se a saúde permitir.  Onde estão os candidatos da oposição, onde estão?

Ossami Sakamori
@SakaSakamroi


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Dilma, inflação não se domina no gogó!

Fiz um pequeno estudo empírico para entender melhor o que está acontecendo com o fenômeno da inflação, sobretudo nos últimos meses, apesar do esforço (sic) enorme do governo Dilma em contê-la.  Esforço, vírgula, porque não está fazendo esforço nenhum para conter a inflação. Vejam os meus argumentos.


O governo Lula pegou o Brasil com o PIB, em reais, de R$ 1,51 trilhão.  Hoje, o PIB brasileiro é de R$ 4,8 trilhões, apesar de o crescimento nestes últimos 11 anos do governo não ter passado de 25%.  O que é real é o crescimento de 25%, grosso modo, nestes últimos 11 anos. 

Na realidade, o que houve foi a emissão de moeda. O governo do PT, emitiu muita moeda, seja em forma de espécie ou em forma de títulos do Tesouro, que tem liquidez imediato, mesmo os títulos de longo prazo.  Mesmo você sendo leigo, vai entender onde quero chegar.

Quanto Lula pegou o governo, a Dívida Pública Federal líquida estava em R$ 623 bilhões.  Hoje, a Dívida Pública Federal está em R$ 2.240 bilhões, ou seja aumentou dinheiro em circulação cerca de R$ 1,627 trilhão a mais.  Isto significa que o governo emitiu R$ 1,627 trilhão em moeda escritural.  


Os governos Lula pegou o governo com o endividamento da população em R$ 390 bilhões.  Hoje, o endividamento da população está além de R$ 2.700 bilhões, ou seja os governos Lula e Dilma despejaram créditos fáceis e baratos em mais de R$ 2,310 trilhões nos últimos 11 anos.  

Somado emissão de títulos adicionais do Tesouro mais o endividamento adicional da população, o dinheiro em circulação hoje, em relação ao início do governo Lula é de espantoso R$ 3,937 trilhões.  Isto para o PIB de R$ 4,8 trilhões, faz muita diferença.

  
Inflação é um bicho sem vergonha.  A inflação é causa quando há aumento de oferta de dinheiro em circulação, seja em moeda disponível ou em forma de moeda escritural. Com tanta emissão de moeda escritural não podia dar outra, dá-lhe inflação! Em 11 anos e 4 meses de governo, o governo despesou quase um PIB de dinheiro a mais na praça!

A inflação é efeito, quando há muito dinheiro em circulação. É um círculo vicioso. Inflação é causa e efeito. Governo precisa emitir para manter para cobrir a inflação e ao mesmo tempo tem que segurar para conter a inflação.  A Dilma optou em segurar inflação segurando o câmbio e preços administrados, mas sabe que está fazendo apenas o represamento da inflação por algum tempo.  Uma hora este dragão desperta!

Isto tudo, tem o objetivo de provocar a "sensação de bem estar" da população, mesmo que isto vá explodir lá na frente!  Quem viveu o Plano Cruzado do governo Sarney sabe muito bem como terminou o governo.  Sarney entregou o governo com inflação de 80% ao mês para o Collor.  Explodiu no colo dele, antes de entregar o governo, para infelicidade dele.  


O restante da história, quase todos se lembram.  O Collor para segurar o monstro da inflação fez o "confisco" de depósitos!  Fez confisco para tirar "dinheiro em circulação" de forma brusca e imediata, para conter a inflação.  Deu no que deu também, porque, a economia é livre e solto, tem que domar a inflação com política econômica consistente de médio a longo prazo.  Não adianta medidas mirabolantes!

Não adianta os políticos quererem ideologizar a política econômica.  Hoje, a economia é uma grande bolha global. É totalmente, incontrolável, o efeito externo sobre a economia interna.  Brasil está inserido no contexto global.  Quem pensa diferente, não merece ocupar a cadeira de presidência da República.  Dizer que o Brasil é imune ao efeito externo é uma grande mentira!


Não adianta os formuladores da política econômica vir com conversinha de modelos.  Seja modelo bolivariano ou Keynesiano! Tudo balela! Não funciona! O Brasil, como qualquer outro país é refém da bolha financeira global. Terá que ajustar o seu plano econômico à realidade global. O que tem que fazer é lição de casa. Tem que atacar de frente, no mínimo 6 pontos elencados, na matéria imediatamente anterior!

Dilma, inflação não se domina no gogó!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori








quinta-feira, 17 de abril de 2014

Dilma, Aécio e Dudu, vamos falar a sério, vamos?

Neste início do mês de abril, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, PSB, renunciou ao cargo para concorrer à presidência da República em obediência à legislação vigente. O outro candidato, o Senador Aécio Neves, PSDB, não tem necessidade da renúncia ao cargo, por se tratar de parlamentar.  


Com três candidatos de partidos mais expressivos postos à rua, a Dilma Rousseff, PT, para reeleição, o Aécio Campos, PSDB, e Eduardo Campos, PSB, como principais adversários, resta ao povo exigir dos candidatos os programas mínimos do governo.


No meu entender, não basta mais os discursos genéricos de prioridade na área de saúde, educação e segurança pública, por exemplo.  Isto é mais que chover no molhado.  Sobretudo a população está careca de saber que o Brasil é carente nas três áreas já citadas.  Não é possível que qualquer candidato não tenha como foco os temas explosivos como programa principal do governo.  


Eu como sou mais realista, com pequeno conhecimento na área econômica e política, quero que cada um dos candidatos se pronuncie sobre os seguintes problemas/soluções cruciais do País, não só para meu entendimento, mas sobretudo para esclarecimento aos eleitores.

1. Câmbio.  O governo Lula, no seu primeiro mandato iniciou o governo com dólar cotado a R$ 3,52.  Ontem, o dólar estava cotado a R$ 2,24.  O índice de inflação no período janeiro/2003 a março/2014 foi de 91,12%.  Se aplicar o índice de inflação do período, para manter a mesma equivalência o dólar deveria estar em, impressionante número, R$ 6,72.  Claro, nem mar, nem terra.  O dólar não deveria estar a R$ 6,72 por diversos fatores, que deixo de comentar neste momento, mas também a cotação de R$ 2,24 é visivelmente artificial.  Isto é calcanhar de aquiles para qualquer qualquer presidente que venha tomar posse em 2015. 


2. Selic. A taxa básica de juros reais, acima da inflação oficial, IPCA, é a mais alta do mundo, tirando naturalmente os países do terceiro mundo.  Selic que é apenas balizamento da taxa de juros, hoje é de 11% com viés para alta.  Com inflação de 6,5%, oficial, a taxa de juros reais fica em 4,5% ao ano.  Acontece que a taxa de juros pago pelo Tesouro acima da inflação, só aumenta o tamanho da dívida pública federal.  Política econômica que aumenta o tamanho da dívida pública eu considero um tremendo equívoco.  


3. Combustíveis.  O atual governo vem utilizando a política de preços dos combustíveis como freio para segurar a inflação, numa atitude equivocada.  A Petrobras, vem bancando a defasagem do preço internacional em relação ao preço do petróleo no mercado internacional, fugindo a política de "paridade" entre os preços do mercado interno e externo.  O represamento do preço dos combustíveis está tornando a Petrobras, uma empresa altamente endividada e sucateada.


4. Energia elétrica.  O atual governo vem utilizando as tarifas de energia elétrica, também, como âncora para conter a inflação.  Em função da interferência indevida do governo federal no setor elétrico, está levando as empresas do setor privado a abandonar o portfólio de investimentos no setor elétrico, tornando o País vulnerável no fornecimento de energia.  Estamos hoje, dependente de chuvas no período que normalmente é de seca.  Não há investimento de porte, para clarear o horizonte no setor de energia elétrica.


5. Infraestrutura.  O Brasil, até hoje, utiliza como modal de transporte principal o rodoviário.  Isto vem, desde que o País deu prioridade ao setor rodoviário, instalando fábricas de automóveis no País.  O transporte rodoviário é o modal mais caro entre os três: rodoviário, ferroviário, aquaviário.  O transporte aquaviário é impraticável no Brasil, porque as usinas hidroelétricas construída nos rios brasileiros não foram providos de eclusas para navegação fluvial.  Única obra importante no setor ferroviário é a Ferrovia Norte-Sul, sem operação, apesar de 20 anos de investimentos. Vamos ficar de braços cruzados?


6. Reforma tributária.  Os impostos são custos importantes na formação de preços no Brasil.  Em média, são R$ 38 de impostos para cada R$ 100 de produtos.  Além de excessiva carga tributária, o emaranhado de normas e regras que dificultam os empresários e o próprio fisco.  Isto é um problema para ser resolvido, sem o que o País perde competitividade no mercado mundial.

Sim, vou votar na oposição, porque não concordo nem um milímetro da atual política econômica (sic) da presidente Dilma.  Mas, por outro lado, até o momento não estou vendo os candidatos se manifestarem sobre os temas nominados acima.  Se os candidatos da oposição e nem o da situação, tem resposta para a mudança imediata dos programas do governo, não saberia dizer o que fazer com o meu voto.

Proponho que façamos debates de mérito, de conteúdo pragmático, ao invés de ficar discutindo temos ao redor de ideologias (sic).  Que ideologias que não preveem o crescimento do País?  Que ideologias que não propõe mudanças que possam colocar o Brasil no trilho do desenvolvimento?  Ficamos eternamente, caçando os quadrilheiros que se instalou nos três poderes da República?  Isto é programas para republiqueta de 5ª categoria!  Isto deveria estar em discussão no Burundi, África, mas não aqui !


Quero ver, cada um dos candidatos, inclusive a candidata à reeleição, responder pelo menos, estes 6 quesitos formulados, sem rodeios e sem mentiras.  Aquele que melhor solução der aos problemas citados, terá o meu voto. Seja de que partido for.  Não estou nem aí, com o tal de ideologia! 

Ossami Sakamori
@SakaBrasil 


quarta-feira, 16 de abril de 2014

Pasadena. Lula e Dilma estão metidos na maracutaia!

Ontem, assisti depoimento da presidente da Petrobras, Graça Foster em audiência no Senado, sobre o caso compra de refinaria de Pasadena nos EEUU.  As palavras foram ditas por ela milimetricamente calculadas. Ela como se fosse ouvir um réu num processo, as palavras e o conteúdo estavam, visivelmente, orientados por uma boa banca de advogados.  


Curiosamente, no dia anterior, na segunda-feira as duas protagonistas do caso Pasadena, se encontraram em Recife para lançamento dos navios petroleiros.  Isto deve ter sido um "alibi" para encontro das duas, para ambas falarem a mesma coisa em pulbico.  Evitar contradições entre os depoimentos é a orientação de uma boa banca de advogados.

Esquece ambas que ao defender a compra da refinaria Pasadena, sabida e notoriamente super-faturada, não estará somente protegendo os diretores anteriores, responsáveis pela operação, como o Sérgio Gabrielli e o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, mas também aprovando a compra superfaturada da refinaria de Pasadena.  Enfim, a presidente Dilma e a presidente da Petrobras acabaram de sujar as mãos, junto com o Sérgio Gabrielli e Lula.


A defesa da compra super faturada da refinaria Pasadena, é uma condição, não escrita, mas de notoriamente conhecida.  O Sérgio Gabrielli é homem de confiança do ex-presidente Lula, a quem ambas, Dilma e Graça Foster, também devem obediência.  Isto tudo, a maracutaia, tem dedo do Lula. E os beneficiários são os 4 nominados aqui. 


O fato é o seguinte, ouvido por mim mesmo, assistindo o depoimento da Graça Foster pelo TV Senado, ao vivo, de que os números convergem para os números dito pela imprensa.  Apesar de inúmeros disfarces e explicações de que o prejuízo potencial da refinaria Pasadena ultrapassa os apresentado pela imprensa, US$ 1 bilhão.  Veja a seguir, os números confirmados pela Graça Foster.

O total gasto na aquisição da refinaria Pasadena, incluído os primeiros 50% mais o restante com pagamento em acordo judiciais  do restante dos 50% é de US$ 1,25 bilhões, dito pela Graça Foster.

Outro dado que passou batido pela imprensa é que a Petrobras investiu, além da compra dos 100% de cotas da refinaria Pasadena da Astra Oil, dito pela Graça Foster no depoimento de ontem, mais US$ 655 milhões, para que a refinaria pudesse entrar em operação, até esta data.  

Segundo Graça Foster, a refinaria está produzindo há 3 meses, 100 mil barris/dia.  Indagado pela senadora Ana Amélia, ela própria desmentiu e disse que 100 mil barris/dia é a capacidade da refinaria e que a produção mensal era de 65 mil a 80 mil barris/dia.  Curiosamente, como número encomendado, a refinaria Pasadena teria dado primeiros resultados positivos neste ano.  Coincidiu com o período que a denúncia veio a tona pela imprensa.

Disse ainda, Graça Foster, de que há oferta de compras pela refinaria da Pasadena, mas não revelou o valor.  Disse também que a refinaria Pasadena está fora do foco de desinvestimento da Petrobras.  Claro, a venda da refinaria deixaria exposta os números, o prejuízo da operação "malfeita" da Pasadena, exposta no balanço da Petrobras.  

Agora, vamos fazer a conta.  A Petrobras pagou à Astra Oil, segundo Graça Foster, um total de US$ 1,25 bilhões, somados ao investimento feito até hoje de US$ 655 milhões, a refinaria Pasadena já custou à Petrobras nada mais nada menos que US$ 1,90 bilhão.  Corre notícias de que o valor de mercado da refinaria não passaria dos US$ 300 milhões. Sendo assim o "prejuízo potencial" da operação "malfeita" é de US$ 1,60 bilhões!  


Olha, eu com vivência na área empresarial há mais de 45 anos e na área do mercado financeiro, atuando diretamente ou atuando como investidor, pelo igual período, concluo que houve maracutaia sim.  É doloroso dizer que um ex-presidente da República e atual presidente, estão metidos nesta maracutaia, mas a verdade é uma só, Lula e Dilma, assim como Sérgio Gabrielli e Graça Foster estão metido nesta operação fraudulenta até o pescoço.


Eu afirmo, nem que custe alguns processos de calúnia, difamação, etc., etc., que os presidentes Lula e Dilma são os principais responsáveis pela fraude ocorrida na operação de compra da refinaria Pasadena. Pronto! Podem copiar e me processar!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

terça-feira, 15 de abril de 2014

Petrobras. Dilma e Graça Foster são incompetentes!

Presidente Dilma, no seu périplo pela campanha eleitoral, esteve ontem, no Recife para lançamento no mar do navio petroleiro Dragão do Mar e batismo do Henrique Dias.  Esteve acompanhado pela Graça Foster, presidente da Petrobras.   Parece que o ato foi encomendado para limpar a imagem das duas, a Dilma e a Graça Foster, sobre envolvimento de ambas em maracutaias na Companhia, que tem mão de ambas.  


Disse a presidente Dilma, no discurso de ontem, em linhas gerais, segundo a imprensa de que "não vai ficar calado enquanto "detratores" (sic), que tem interesses políticos ferem a imagem da Petrobras."   

Dilma, a senhora diz que não vai ficar calado com os "detratores" que ferem imagem da Petrobras, mas afirmo que não são os "detratores" que diminuem a imagem da Companhia.  Eu mesmo já fiz várias denúncias aqui no blog, sobre os "malfeitos" da administração da Petrobras.  

Dilma, presidente, quem fere a imagem da Petrobras não são os que denunciam as maracutaias e falcatruas que ocorrem na Petrobras. Quem fere imagem da Companhia, senhora presidente  são os "predadores" da Petrobras, Dilma.  São administradores de alta patente que mete a mão no dinheiro da Companhia, conforme todas denúncias noticiadas pela imprensa e os que denunciei aqui por conta própria.


Dilma, quem está quebrando a Petrobras é senhora mesma, que utiliza a Companhia como instrumento da política econômica, engessando os preços dos combustíveis.  Isto é o fator principal da debilidade da Petrobras, que é sentido na queda de suas ações nas bolsas de valores.  Presidente, ontem, após o seu discurso houve mais uma queda das ações da Petrobras, na BMFBovespa!  O mercado está sentindo que está em mãos incapazes. 

Além de tudo, Dilma, a senhora mesmo aprovou a compra da refinaria Pasadena como presidente do Conselho de Administração da Petrobras.  A compra da refinaria Pasadena vai causar prejuízo de mais de US$ 1 bilhão, presidente.  Não interessa ao povo, se a senhora leu ou não o relatório.  Se estava incompleto o relatório, deveria ter exigido um completo, na qualidade da presidente do Conselho.  Agora, se a senhora assinou "sem ler" o documento, como dá a entender nos seus pronunciamentos à respeito, assinou o seu "atestado" de incompetência, Dilma. 
PS (15/4/2014) às 14h:  A presidente da Petrobras acaba de informar que a Petrobras, além do valor da compra, já investiu na refinaria de Pasadena, mais US$ 655 milhões, para produzir 100 mil barris/dia de óleo.  Portanto, o total de investimento na refinaria passa de US$ 1,25 bilhões para US 1,95 bilhões.  Então, o prejuízo da Petrobras com a compra da refinaria passa a ser de US$1,65 bilhões!  Quanto mais abre a boca a Graça Foster, se encrenca cada vez mais!

Ontem mesmo, fiz denúncia sobre relação incestuosa entre Petrobras e BTG, que levou prejuízo enorme à Companhia.  A matéria de ontem, teve plágio do deputado Rodrigo Maia, DEM/RJ, que por sua vez teve publicada no tradicional jornal Estadão, sem nenhum conhecimento ou consentimento deste.  Mas ela é gravíssima, conforme demonstrei na matéria anterior. 

E aquela denúncia do contrato suspeito entre Petrobras e Odebrecht feito pelo TCU, que envolve serviços superfaturados que saltam à vista de qualquer cidadão, mesmo os que pouca cultura? Nem vou comentar sobre isto, porque os números, R$ 800 milhões, são comparativamente "pequenos" em ralação a outras falcatruas.

Com a prisão do doleiro Alberto Yousseff pela Polícia Federal, na operação denominado de Lava Jato, descobriu-se que os empreiteiros da Petrobras eram fornecedores de propinas para os políticos dos partidos aliados.  Presidente, pasme! Anotados em caderninho do ex-diretor da Petrobras!  E ontem, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão dos arquivos do computador da Graça Foster na sede da Petrobras.  Uai, isto não fere imagem da Petrobras, Dilma?  Isto é coisa grave, presidente!


Outra coisa, presidente Dilma, a senhora disse que a Petrobras valia no mercado em 2002, cerca de R$ 15,5 bilhões e hoje estaria valendo R$ 98 bilhões.  Foi o que a senhora disse, presidente. Acontece Dilma, que no interregno do tempo, o Lula fez capitalização da Petrobras em cerca de R$ 130 bilhões, colocando pela parte da controladora a União, 5 bilhões de barris de petróleo do campo Tupi por R$ 42,5 bilhões.    

Ora Dilma, fazendo conta simples, a Petrobras deveria estar valendo, R$ 15,5 bi + R$ 130 bi = R$ 155,5 bi, usando o seu critério simplista.  A senhora esqueceu da capitalização!  Então, Dilma, usando a mesma técnica simplista, a Petrobras deveria estar valendo R$ 155,5 bilhões e não os R$ 98 bilhões que a senhor diz valer!  A senhora fugiu da escola, foi?

Concluo esta matéria dizendo.  

Quem está ferindo a imagem da Petrobras é a senhora própria, Dilma!  Eu não sei se a senhora me incluiu dentre os "detratores", mas não são eles que ferem a imagem da Petrobras, Dilma.  Não foram vocês, a Dilma, a Graça Foster e Sergio Gabrielli que estão envolvidos em escândalos R$ bilionários envolvendo a Petrobras? Quem faz notícias ruins da Petrobras são vocês, não os "detratores"!


Dilma, a senhora não merece estar na função que ocupa, a da presidência da República, digo com todas letras.  O Brasil merece um ou uma presidente que tenha probidade e competência seja quem for o ocupante do cargo.  Uma coisa é certa, Dilma, a senhora não ocupará o cargo que está ocupando.  A senhora não merece permanecer no cargo de presidente da República. 

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


domingo, 13 de abril de 2014

Petrobras/BTG II. Dilma e Graça Foster estão com mãos sujas!

Em 30 de setembro de 2013, escrevi matéria denúncia sobre a associação entre Petrobras e BTG Pactual, na Braspetro Oil & Gas, sob o título: "Petrobras/BTG. Dilma e Graça Foster estão com as mãos sujas de lama", conforme transcrição que passo na sequência, após comentários.



Para confirmar a operação suspeita denunciado por mim naquela ocasião, a Folha noticiou na edição de 9 de abril de 2014, de que a Braspetro Oil e Gas distribuiu dividendo para a BTG Pactual em US$ 150 milhões, sobre a participação de 50% que tem na antes subsidiária integral da Braspetro Internacional. Isto corresponde a cerca de 10% do que pagou BTG à Petrobras pela compra da parcela da sociedade.  



Isto é apenas começo das distribuição de lucros.  A Braspetro Oil & Gas possuem campos que já estão em operação e outros prestes a entrar em operação. A sacanagem da dupla Dilma e Graça Foster é que a Petrobras vendeu, sem licitações, 50% de uma subsidiária que tem muito lucro a ser distribuído ao longo dos próximos anos.  

Veja a íntegra da matéria escrita por mim, no ano passado, sob o título:

Petrobras/BTG. Dilma e Graça Foster estão com as mãos sujas de lama! (30/9/2013).

Nem bem esquentou a transação atípica de venda de 50% dos ativos da Petrobras Oil & Gas para BTG Pactual, a BTG Pactual associado a Petrobras pretende criar um empresa gigante na área de exploração de petróleo, tal qual OGX. Vejam as notícias e meus comentários à respeito.  

O investimento do BTG em 50% da Petrobrás Oil & Gas, que reúne os ativos da estatal na África, é mais do que um primeiro passo do banqueiro na exploração de petróleo: é também o primeiro investimento dele no continente africano. A joint venture de BTG e Petrobrás nasce com presença em seis países, dez campos na carteira e três em produção. Fonte: Estadão.

Comentário.

A forma atípica sobre a transferência de 50% de participação ativos da Petrobras Oil & Gas para BTG Pactual, merece análise mais profunda.  Como a operação é complexa, faz qualquer um acreditar na historinha contada pela Graça Foster e seus superiores imediatos, o ministro Mantega e a presidente Dilma. 


Vamos esclarecer primeiro o emaranhado de empresas do complexo Petrobras.   A Petrobras Oil & Gas é subsidiária integral (100%) da Petrobras Internacional - Braspetro.   A Braspetro com sede na Holanda é também subsidiária integral (100%) da Petrobras S.A.  Isto é fato, para começo de conversa.

A Petrobras S.A. é uma empresa de economia mista cujo controle acionário é da União Federal.  Sendo uma empresa com controle da União Federal, a Petrobras e suas subsidiárias integrais deverão obedecer as regras do setor público, sobretudo as leis de licitações. Dentro da mesma visão, a Petrobras como empresa de capital aberto, deveria efetivar operações com total transparência para não haver dúvidas aos acionistas minoritários.   

Um ativo do tamanho da Braspetro ou da sua subsidiária integral Petrobras Oil & Gas, cujo valor contábil histórico deve ser os US$ 3 bilhões, já que 50% foi entregue para BTG Pactual pelo US$ 1,51 bilhões.  Aparentemente, operação de venda de ativos pela Braspetro segue regime jurídico da Holanda como empresa privada, no entanto, não livra a Braspetro e Petrobras Oil & Gas de cumprirem as normas legais brasileiras, já que são subsidiárias integrais com 100% de ações da Petrobras S.A.  

Para venda de ativos de uma empresa de economia mista, deveria ter seguido os seguintes procedimentos.  Primeiro seria contratar auditoria externa independente para "avaliação dos ativos" à venda.  Segundo procedimento seria a venda destes ativos através de leilão público, com regras claras, sendo que o lance mínimo teria que ser o valor "avaliado" pela auditoria externa.  

Além de tudo, a venda de ativo do tamanho deste, que tem até poços de petróleo em exploração, deveria não só ter observado as regras das licitações brasileiras, mas também precedido de ampla divulgação nos meios de comunicação nacional e internacional, para a Petrobras obter maiores lucros na venda.  Isto não foi feito!   Vendeu por preço de banana! 



Como não foi obedecido regras próprias de licitações nem as boas normas de transparência das coisa públicas, nos permite fazer ilações de que os referidos ativos poderiam estar valendo no mínimo US$ 30 bilhões.  Sendo assim, ainda no terreno de ilações, a BTG Pactual deve ter pago 10% do valor real, isto é US$ 1,51 bilhão pelos 50% do ativos.

Resumindo.  Os ativos da Petrobras/Braspetro/Petrobras Oil & Gas, da África, foram entregues de mão beijada ao preço de banana para o novo aventureiro na área de petróleo, o André Esteves em substituição ao já falido Eike Batista da OGX.   Sai OGX entra BTG, no quintal do Lula & Dilma.



Para dar uma pseuda legalidade, a operação de venda de ativos da África da Petrobras para a BTG Pactual, fora aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobras. Isto é para enganar trouxa, porque a simples aprovação no Conselho de Administração da Petrobras não torna operação legal, uma vez que não foram obedecidos os requisitos mínimos de transparência e de regras de licitações, conforme exposto acima.

Na minha avaliação, já que não houve obedecimento de regras de licitações, concluo que o US$ 1,5 bilhão pago pela BTG Pactual para Petrobras está totalmente subfaturado. Se a Petrobras tivesse obedecido as boas normas de governança corporativa e seguido rigorosamente as leis das licitações, certamente a Petrobras teria arrecadado US$ 15 bilhões ao invés de US$ 1,5 bilhões.

Esta operação terá que passar pelo crivo da CGU, AGU, MPF e Polícia Federal, para apurar a denúncia apresentada por este blog.  Em não fazendo investigações devidas sobre a operação de venda de ativos da Petrobras para BTG Pactual, considero que a Dilma e Graça Foster que ambas estão metidos até o pescoço na operação fraudulenta de venda de ativos da Petrobras para BTG Pactual do menino André Esteves.  



Cada um tira conclusão que quiser.  A minha já está exposta acima e mantenho-a até que me expliquem porque não obedeceram as normais legais de transparência na operação, dito por mim, como fraudulenta.  Dilma e Graça Foster estão com os mãos sujos de lama!  

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


SOS OBESOS por deputado Junji Abe.

Em nome dos milhares de obesos que lutam pela vida e pela qualidade de vida, desde a proibição arbitrária e injustificada dos inibidores de apetite pela ANVISA, tomo a liberdade de reproduzir, neste espaço gentilmente cedido pelo amigo Ossami Sakamori, o excelente artigo de deputado federal Junji Abe, PSD/SP que se sensibilizou com a nossa causa e se dispôs a nos defender e ajudar.


Pelas argumentações pontuadas abaixo, pedimos a mesma amabilidade e senso de trabalho e de cooperação dos demais parlamentares. Dos senhores senadores,  para a aprovação do PDS 52/2014, de autoria do amigo deputado Beto Albuquerque, liberando a pronta comercialização dos medicamentos, e dos senhores deputados federais, para a derrubada do Recurso 261/13, apresentado pelo inimigo dos obesos, senhor “dr.” Rosinha, para que seja aprovado o PL 2431/11, de autoria do também amigo deputado federal Felipe Bornier. Precisamos dessa vitória! 

Muito obrigada deputado Junji Abe, por nos ajudar a levantar essa bandeira.

Toninha Rodrigues

Abaixo o pronunciamento do deputado Junji Abe, PSD/SP


11 de Abril de 2014


No Brasil, há mais de 3 milhões de obesos mórbidos, com profundos e graves transtornos metabólicos. Do final de 2011 para cá, muitos morreram. Outros estão nas mãos de contrabandistas para ter acesso aos medicamentos que tiveram produção e venda, sob prescrição médica, proibidas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Repetindo o que já virou mania de autoridade no País, a Anvisa resolveu banir, por resolução, os inibidores de apetite, sem oferecer alternativas para tratamento de desequilíbrios metabólicos. Os efeitos da decisão foram catastróficos. Em menos de um ano (dezembro/2011 a setembro/2012), a incidência de obesos subiu de 2,4% para 4%. A pesquisa é da Associação Brasileira de Nutrologia.

Existe o Registro Nacional do Uso de Medicamentos Controlados que se mostra seguro, segundo especialistas em saúde. O sistema garante o uso racional do medicamento em cada farmácia, cabendo ao farmacêutico fazer o controle. Vendidos sob prescrição médica, os anorexígenos passam por método idêntico à venda da morfina, permitida para tratamento de dores de doentes terminais.

Falo de anorexígenos vendidos em 80 países e usados há 40 anos no Brasil. A proibição fez chover denúncias. As mais comuns tratavam do mercado negro e de pacientes fazendo uso de medicamentos cruzados, além do aumento do número de cirurgias bariátricas.

Minha interação pela rede social começou com uma ou duas vítimas. Em uma semana, já havia centenas me pedindo para lutar contra a resolução da Anvisa. Ao lado de milhões de vítimas anônimas, que amam a vida, aprovamos, com muita emoção, o PDC (Projeto de Decreto Legislativo 1123/2013), que suspende a proibição dos inibidores de apetite. Havendo aprovação do Senado, a decisão será promulgada pelo Congresso.

Com ímpeto robustecido, em respeito e reconhecimento aos milhões de brasileiros que lutam contra a insensibilidade governamental – ditada por técnicos burocratas que se movem só em função do custo-benefício e não para salvar vidas – haveremos de aprovar o projeto de lei (2431/2011), do colega Felipe Bornier (PSD-RJ), que prevê a produção, comercialização e consumo, sob prescrição médica, desses produtos. Assim, rechaçaremos definitivamente quaisquer ameaças inoportunas, arbitrárias ou intempestivas como as emanadas pela Anvisa.



A simples proibição dos inibidores de apetite – sem alternativas para o tratamento – jogou pacientes do método tecnicamente seguro de ingestão, sob prescrição médica, para oportunistas no mercado negro. Ora, cadê a preocupação com a saúde que a Anvisa diz ser o motivo para banir estes medicamentos?

Junji Abe - Deputado Federal


sábado, 12 de abril de 2014

Dilma não será próximo presidente da República!

Nas pesquisas encomendadas para uso interno de um dos partidos que tem candidato à presidência, aponta que a presidente Dilma, não se reelegerá, se eleições fossem realizadas hoje.  Resguardo a fonte. Não estou autorizado a divulgar a fonte.

No atual quadro, o PT só ganharia eleições, se fossem realizados hoje, se Lula se candidatasse no lugar da Dilma. Mesmo, nesta hipótese, a margem de vantagem não está tão grande.  Lula teria vantagem no nordeste, mas está com pouca margem na frente dos outros candidatos, nas demais regiões.


Como foi noticiado pela imprensa, também, nas pesquisas encomendada pelo partido, índice de rejeição do ex-presidente FHC é muito grande.  O candidato Aécio, ao colar sua imagem ao FHC, em nível nacional, mais perde do que ganha.  


O candidato Eduardo Campos cresceu muito, segundo a mesma pesquisa, após último programa do PSB, aparecendo junto com a Marina Silva.  Não se sabe se a subida deve à força própria do Eduardo Campos ou tem reflexão do efeito Marina no resultado da pesquisa.  

Na pesquisa, nota-se claramente que o povo quer a mudança do rumo da política.  Neste contexto, o candidato Eduardo Campos leva vantagem por ser desconhecido pela grande maioria da população.  Esta afirmação é confirmado com a intenção de voto no Paraná, com 24% dos eleitores que optam por seu nome. Levando-se em conta de que ele é totalmente desconhecido, o índice, no meu entender, reflete mais pela falta de opção do que pela qualidade do candidato. 


Em linhas gerais, como as eleições só acontecem no mês de outubro, isto é, daqui a 6 meses, seria prematuro afirmar quem será o ganhador.  No entanto, uma conclusão é certa, a presidente Dilma não será mais imbatível como se apregoam os petistas e a oposição pessimista.


Como diz popularmente, embolou o meio do campo. Qualquer um dos candidatos terá chance de ganhar eleições de outubro próximo.  No entanto, a pesquisa na qual tive acesso, fez-me crer que Dilma não será presidente para o próximo período.  Poderá ser até Lula, mas Dilma não será!

Dilma não será próximo presidente da República!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

Dívida Pública. A grande farsa!

Ultimamente, venho ocupando o blog com matérias sobre escândalos de desvio de dinheiro público ou administração incompetentes de recursos públicos.  Confesso que isto já está ficando rotineiro que ninguém mais aguenta falar em escândalos. Vou dar um pequeno fôlego, até que apareça notícias requentadas sobre as matérias que já postei, quase todos há 1 ano atrás.

Hoje, vou falar sobre a dívida pública federal interna e externa. Sobre a apresentação da dívida pública federal existe grande controvérsia, entre os números oficiais e os números reais. Para não haver dúvida, hoje, vou fazer análise em cima dos números oficiais fornecidos pelo Banco Central do Brasil.


Segundo Banco Central, em fevereiro de 2014, a Dívida Pública Federal interna estava em R$ 1,974 trilhões e Dívida Pública Federal externa em R$ 92 bilhões.  A Dívida Pública Federal consolidada era de R$ 2,067 trilhões, sendo o prazo médio de resgate de 4,36 anos.  

Em tese, a cada ano vence R$ 475 bilhões do valor principal da Dívida Pública Federal (DPF), considerado a posição do instante do dia 28 de fevereiro de 2014.  Só para ter ideia, o governo federal arrecadou em 2013 um total de R$ 1,13 trilhões.  Fica claro, então, que o governo federal não tem dinheiro para pagar as parcelas vincendos da dívida, pois isto seria impossível.  

Ainda, acreditando nos números do Banco Central do Brasil, o custo médio do carregamento da DPF é de 11,57% ao ano.  Isto significa que o governo federal deveria pagar só de juros 11,57% sobre R$ 2,067 bilhões que dá R$ 239 bilhões de juros, de fevereiro/2014 a fevereiro/2015.  


Para simplificar, vamos considerar que o governo federal dispende R$ 239 bilhões anuais, somente em juros, sem considerar as amortizações do capital.  Isto corresponde a grosso modo cerca de 20% da arrecadação bruta do governo federal prevista para o ano de 2014.  Deste total de juros, R$ 239 bilhões, o ministro da Fazenda prometeu pagar R$ 44 bilhões neste ano.

De onde apareceu o número R$ 44 bilhões? É o que vocês vão perguntar.  Pois é o tal "superávit primário" do governo federal que a Dilma anunciou para pagamento de juros, no Fórum Econômico de Davos na Suíça.  Claramente, disse o seguinte: devo de juros R$ 239 bilhões, mas vou pagar para vocês apenas R$ 44 bilhões.  Ofereceu migalhas para agiotas famintos.  

Bem, para o País conhecido como caloteiro, melhor receber R$ 44 bilhões e rolar o saldo do juro do que não receber nada.  O número aceito pela banca internacional, inclusive o FMI, é de 3% do PIB para pagamento dos juros, o que corresponde a R$ 144 bilhões.  Justifica-se o "porre" que a Dilma tomou em Lisboa, na sua volta do Davos para o Brasil, com "pit stop" em Cuba.  Deve ela ter pensado que tinha enganado os banqueiros internacionais.  

Crédito da foto: Revista Veja

Resumindo, o Brasil deve de juros em 2014 R$ 239 bilhões. Os agiotas internacionais queriam receber R$ 144 bilhões. Dilma prometeu pagar apenas R$ 44 bilhões.  Depois vem a Dilma reclamar do rebaixamento da nota pelas agências de classificação.  Devemos nos contentar com o rebaixamento que ainda manteve o Brasil dentro da faixa do grau de investimentos.  Deve ter pensado os analistas, melhor receber parte dos juros do que não receber nada.

Resumo do resumo, para vocês entenderem bem.  O Brasil não consegue pagar amortização da sua Dívida Pública Federal.  O Brasil deve em 2014, somente em juros R$ 239 bilhões.  FMI recomenda que o Brasil pague R$ 144 bilhões como parte dos juros deste ano.  A Dilma prometeu pagar R$ 44 bilhões, com geração de superávit primário para este ano. Prometeu, bem entendido.  Se vai conseguir, são outros quinhentos.

Você conhece a situação daquele cara que tem dívida no banco e rola todos os anos o saldo devedor?  O cara que não consegue pagar nem a parte de juros que o banco quer que pague?  E por fim, o cara paga uma parte dos juros e manda o banco acrescer os juros faltantes na rolagem da dívida?  Pois, o Brasil está assim.  


Se o Brasil fosse uma pessoa física, diríamos que o Brasil está quebrado!  Ainda assim, a Dilma faz festa, sobre situação econômica do País.  Uma hora vai aparecer esta conta para o povo pagar!  Na Grécia foi assim, em Portugal foi assim, na Espanha também!  E Turquia está no mesmo caminho.  O Brasil caminha a passos largos para o mesmo destino!  O almoço nunca é de graça!  

Ossami Sakamori
@SakaSakamori